CS Ecoturismo


Sua técnica de corrida está certa? Entenda e nunca mais se lesione

A importância da técnica de corrida no desempenho e na prevenção de lesões.

Por:

Quando falamos de corrida, a primeira coisa que vem em nossa mente, é comprar um par de tênis e sair mundo a fora como se fosse o Forrest Gump, e ai, quando chegamos nos primeiros 5 à 10 minutos estamos bufando, coração disparado, pulmão ardendo, as pernas bambas, conseguimos ouvir/sentir nossa pulsação na cabeça e uma sensação horrível, parece que é morte!

Em 68, o Dr. Cooper escreveu o livro Aerobics, que visava melhora do condicionamento das forças armadas Norte Americanas, depois disso com o famoso teste de Cooper, criado pelo mesmo Dr. Cooper que é um teste de corrida de 12 minutos com classificações pré estabelecidas de acordo com o sexo e faixas etárias e, inicialmente foi voltado à atletas, ajudou a massificar a prática da corrida no Brasil, e se tornou moda falar a seguinte frase “vou fazer um cooper” essa era a referencia à vou sair e correr, interessante como essa moda pegou e ai que mora o perigo.

Todo mundo comprava um par de tênis e saia correndo, peraí, mas nessa época quais eram os tênis existentes?

* Existia também o Rainha, All Star e o Montreal.

O interessante é que nessa época, não existiam treinadores de corrida, os calçados não tinham amortecimento, mas ninguém tinha lesões em quadril, joelhos, tornozelos….

Com o tempo a industria esportiva foi crescendo, a de calçados não perdeu a onda e ai começaram a aparecer os tênis de corrida, Nike, Puma, Rainha System em seus mais diversos modelos, o fato interessante é que a partir daí, o número de lesões relacionados a corrida cresceram muito, um fato relevante é que as pessoas continuaram a treinar sem orientação, seus tênis, agora tinham tecnologia especial de amortecimento e foram criados especialmente para corrida.

Uma coisa todos essas marcas tem em comum, estimulavam a pisada tocando o solo primeiro com o com o calcanhar, ao invés de tocar primeiro com a parte anterior do pés, na imagem abaixo você pode visualizar as diferenças entre as pisadas.

Naturalmente sempre corremos utilizando a forma natural de corrida, pisando com a parte anterior do pé, quando somos crianças e corremos, jogamos bola, ou em outras brincadeiras como piques, correndo descalços ou até mesmo calçados, sempre utilizamos a parte anterior dos pés, então quando começamos a treinar corrida com um “treinador” o cara é bom, dá muitos treinos de tiros, “termino meus treinos todo dolorido, meus tempos estão baixando”, o cara é bom tão bom que não corrige e além disso ensina tudo errado, do nada pitam algumas lesões e dores de tornozelos, quadris, joelhos entre outras e ninguém sabe a causa.

Existe uma forma que sempre utilizamos naturalmente e ainda sim existem algumas pessoas que tentam criar pesquisas para provar o contrário, mas não precisamos discutir muito, é só utilizar três testes simples e básicos aqui que você pode realizar em um local pequeno, até mesmo na sua casa se desejar.

Teste 1 - Experimente saltar com uma perna e depois saltar com as duas pernas e repare ao cair e tocar o solo se você tocou com o calcanhar ou com a parte anterior dos pés.

Teste 2 - Corra descalço e repare como seus pés tocam primeiro o solo, caso toque com o calcanhar primeiro – isso será praticamente impossível – depois experimente correr descalço e tocar com a parte anterior dos pés, sinta a diferença de conforto em correr de uma forma para a outra.

Teste 3 - Experimente correr calçado e realizar diferentes sprints ou tiros com velocidades variadas tocando o solo com o calcanhar e depois experimente com a parte anterior dos pés.

Experimente cada um dos testes para vivenciar essas diferentes formas, mas já adianto os sentimentos, todas as vezes que “pousar” com o calcanhar a impressão é que você está num carro e passando por uma estrada esburacada, diferente do pouso com a parte anterior dos pés que é muito mais eficiente e suave.

Ainda tem dúvidas com relação à técnica de pisada mais eficiente na corrida? É só observar os tênis minimalistas olhem seus formatos e seu amortecimento e repare o quão parecidos com os nossos antigos Bamba, Conga e Kichute os calçados de hoje só não tem aquele charme de amarrar o cadarço na “canela” rsrsrs

A explicação resumida para tudo isso, é muito simples, nosso corpo tem diversas articulações e músculos, quando estamos correndo nosso corpo tem sua fase aérea, que é quando os dois pés estão sem contato com o solo, se ao cair ou pousar esse contato for com o calcanhar, os joelhos precisam estar estendidos e isso cria uma frenagem, ao invés de criar propulsão a frente, se você quer ir para a frente seus joelhos devem estar levemente flexionados e o seu pouso deve ser com a parte anterior dos pés, dessa forma seus músculos e articulações reduzem a sobrecarga pois funcionam como amortecedores, a carga é transformada em energia impulsionando seu corpo a frente por como uma catapulta.

O resultado final disso tudo é vida longa às suas articulações, menos dores durante seus treinos, tempos melhores a cada ciclo de treinos concluídos e uma corrida com uma técnica encaixada. Já reparou como os corredores de elite e os bons corredores parecem estar num ritmo confortável?

Sabe qual o grande segredo deles?
Muito treinamento de técnica, muitos educativos antes dos tiros, ladeiras e longos, existe muita técnica, muita ciência, muita física e biomecânica por trás do sucesso.

Esse tema é inesgotável, e por isso abordarei outros pontos em outros artigos futuros.

Mario Jorge Hilarino - https://www.facebook.com/mariohilarino
Coach Técnico de Triathlon CBTri Fundador e Treinador da OTREINO Assessoria Esportiva
Campeão estadual por Equipes de Triathlon no RJ
Equipe 3ª colocada nas Maratonas Aquáticas da Federação Aquática do Rio de Janeiro
Fundador do www.supremocoaching.com.br

Referências por palavra-chave



Clique aqui para inserir um comentário

Total: 0 comentário(s)

Nenhum comentário encontrado!

 
0 0
Facebook Twitter