CS Ecoturismo

» Trekking » RJ

Pico do Perdido [via rua Marianópolis] (Parna Tijuca)

Localizado no bairro do Grajaú e dono de uma bela vista da região ao entorno, esta trilha vale por cada centímetro percorrido

Informações técnicas:

ICMBio - Parque Nacional da Tijuca


E-mail(s) / Site(s)

parnatijuca@icmbio.gov.br

Telefone(s)

+55 (21) 2491-1700 » Brasil
+55 (21) 2492-2252 » Brasil
+55 (21) 2492-2253 » Brasil
+55 (21) 2492-2252 » Brasil
Fax
+55 (21) 2491-1700 » Brasil
Fiscalização

Endereço(s)

Estrada da Cascatinha, 850
Alto da Boa Vista
Rio de Janeiro (RJ)
20531-590

Informações gerais

» É totalmente proibido a permanência dentro do parque fora do tempo estipulado.

» Funcionamento:
  * Diariamente, das 08:00 às 17:00. Estendido até às 18:00 durante o horário de verão).
  * Corcovado: 08:00 às 19:00. Estendido até às 20h no horário de verão).
  * Parque Lage: 08:00 às 18:00. Estendido até às 19:00 no horário de verão) ou até às 22:00 com autorização da administração.

» Excetuando-se a taxa de acesso ao monumento do Cristo Redentor, o parque não cobra nenhuma taxa de acesso.
  * Valores para a taxa de acesso ao Cristo Redentor:
    ** De trem: R$ 62,00 inteira (ida e volta).
    ** De van saindo do Largo do Machado ou de Copacabana (ida e volta):
      - R$ 62,00 na alta temporada
      - R$ 55,00 na baixa temporada.
      - R$ 27,00 para crianças de 06 a 11 anos e idosos a partir de 60 anos.
      - Crianças de até 05 anos e guia de turismo cadastrados no Ministério do Turismo (acompanhado com um mínimo de 3 pagantes) não pagam.
    ** De van do antigo hotel Paineiras (ida e volta):
      - R$ 35,00 na alta temporada, aos finais de semana e feriados.
      - R$ 24,00 na baixa temporada.
      - Crianças até 11 anos, idosos a partir de 60 anos e guia de turismo cadastrados no Ministério do Turismo (acompanhado com um mínimo de 3 pagantes) não pagam.
      - Esse também é o valor cobrado para quem acessa o monumento a pé.
Intermediária
Não existente, mas possui direção definida
Protegido do sol em grande parte do percurso
1:40
445m

Relate sua experiência:

0 pessoa(s) já foi/foram!

O tempo na região:

Por:

Também chamado de Pico do Papagaio, Pirâmide do Grajaú ou Pedra do Andaraí, o Pico do Perdido é um grande bloco rochoso que se eleva a 445m de altitude em seu ponto mais alto. Localizado no bairro do Grajaú, tornou-se o símbolo natural da região e o destino certo para aqueles que procuram o montanhismo. Não apenas por trilha, mas diversas vias de escalada sobem ao cume deste monumento. Por sua importância, a área foi anexada ao Parque Nacional da Tijuca em 2004, fazendo limite com o Parque Estadual do Grajaú, ao nordeste.

A trilha começa no fim da Rua Marianópolis. Logo após passar por um portão, deve-se andar por um antigo caminho de pedras que dava acesso a antiga Fazenda Vila Rica, que no início do século XIX pertenceu à Viscondessa de Alcântara. No entanto, diversos trabalhos históricos realizados na área mostram que tal propriedade, hoje uma das maiores ruínas do Maciço da Tijuca, já era usada desde a metade do século XVIII para produção de corante anil. Décadas de escavações arqueológicas empreendidas no local reveleram milhares de artefatos que indicam o uso sucessivo do lugar em diferentes épocas e contextos, até seu abandono para que o reflorestamento da área obtivesse sucesso. Hoje, imensas muralhas de uma casa de dois pavimentos, com engenho, oficina de forja e pátio de secagem de café, além de vestígios de roda d'água e represa, todos em ruínas, nos contam essa história. Uma história sobre a ocupação humana e a utilização dos recursos naturais, com posterior vitória da recuperação ecológica. Um ótimo ponto de parada para refletir sobre a relação atual do homem com o meio ambiente.

Retornando à trilha, que recebe o nome de Caminho do Marumbi, em alguns minutos de caminhada percebe-se, novamente, a presença do Rio do Perdido ao lado esquerdo. O mesmo que aparece pela primeira vez logo no começo da atividade, logo ao entrar na mata. Com cerca de 30 minutos de subida, chega-se em uma das cachoeiras mais procuradas da região, a cachoeira Mãe d´Água, onde é possível se banhar e refrescar para tirar o suor. Um imenso tronco, atravessado sobre o poço da pequena queda, é apenas uma lembrança das chuvas que assolaram o Rio de Janeiro em abril de 2010. Rumo ao Pico, a trilha segue subindo com aclive moderado, passando por árvores de raízes curiosas e abrigos de pedra não menos interessantes.

Com cerca de uma hora de subida pelo caminho sombreado da floresta, a base rochosa do Pico do Perdido aparece. Neste local, a vegetação é bem mais baixa e a exposição ao Sol daqui para frente será constante. O próximo trecho, o mais complicado de toda a trilha, resume-se em uma escalaminhada em uma rocha. Embora curta, esta parte exige atenção, cuidado e consciência. Vencido este desafio técnico, apenas 15 minutos restam para chegar ao cume. Seguindo o caminho pela pedra, dessa vez vislumbrando a paisagem que se mostra dos dois lados: do lado direito, a floresta, à esquerda, a cidade.

Finalmente no topo, aonde é possível ter uma visão privilegiada e panorâmica. Atrás, parte do Parque Nacional da Tijuca, com os majestosos Pico da Tijuca, Tijuca-Mirim e Andaraí Maior, além do Morro do Elefante, Pedra do Conde e Morro do Anhangüera, são vistos de um ângulo exclusivo. À frente, porém, a cidade se descortina de um modo surpreendente. Não é nem alto demais para deixar de ver os detalhes da composição urbana, nem baixo demais para tirar o mérito do esforço empreendido com qualquer proximidade. E todo o bairro do Grajaú fica logo abaixo dos pés, bem como a Zona Norte, Centro, parte da Zona Oeste, Baia de Guanabara, Niterói, baixada Fluminense e, se o dia estiver completamente limpo, a Serra dos Órgãos ao alcance dos nossos olhos.

Este é um roteiro que deve entrar na agenda de todas as pessoas que gostam das montanhas.

Observações:

  • Clique no link contendo o nome do parque em Administrador nas “Informações Técnicas” no quadrante ao lado para obter informações sobre formas de contato e outras informações necessárias do parque.

O acesso para a rua Marianópolis pode ser realizado por vários caminhos por dentro do bairro da Grajaú.
Porém, um caminho ideal é pela avenida engenheiro Richard, a principal rua do bairro. Acessando-a em seu acesso com a rua Barão do Bom Retiro, na altura da rua Teodoro da Silva, deve-se descer a rua em direção à serra.
Ao chegar na praça Edmundo Rego, deve-se virar à esquerda, acessando a avenida Júlio Furtado. Deve-se seguir até o seu final, virando novamente à esquerda, acessando a rua Borda do Mato. Segue-se por 400 metros, até acessar a rua Marianópolis, a segunda esquerda após entrar na rua Borda do Mato.
Seguir até o seu final.


Veja o mapa (Google Maps):

Veja também outras informações relacionadas à esta atividade!



Clique aqui para inserir um comentário

Total: 0 comentário(s)

Nenhum comentário encontrado!