CS Ecoturismo

Parque Estadual da Pedra Branca

Uma dos maiores parques em área urbana do mundo


Atrativos desta UC

Aqueduto do Barata (Parque Est. da Pedra Branca) [Rapel]
Um rapel de 22 metros com uma saída técnica e de fácil acesso

Açude do Camorim (Parque est. da Pedra Branca) [Trekking]
Um belo e grande açude em plena região de Jacarepaguá

 

Cachoeira do Barata (Parque Est. da Pedra Branca) [Trekking]
Cachoeira com piscinas artificiais com 3 pontos distintos para aproveitar

Circuito das praias selvagens de Guaratiba [via pedra do Telégrafo] (Parque est. da Pedra Branca) [Trekking]
Uma caminhada longa aonde é possível conhecer todos os atrativos da região da serra de Guaratiba

 

Pedra do Telégrafo [morro de Guaratiba] (Parque Est. da Pedra Branca) [Trekking]
Ponto mais alto do morro de Guaratiba com um dos visuais mais bonitos da cidade

Travessia Itapuca x Grumari (Parque est. da Pedra Branca) [Trekking]
Caminhada por uma trilha que une Barra de Guaratiba até a praia do Grumari

 

Travessia Piabas x Grumari (Parque est. da Pedra Branca) [Trekking]
Caminho tradicional que une os bairros de Piabas e Grumari, em um trajeto existente desde o início do século XX

 

INEA RJ - Parque Estadual da Pedra Branca

E-mail(s) / Site(s)

Telefone(s)

+55 (21) 2332-6608 » Brasil
Núcleo Pau da Fome
+55 (21) 21233-3525 » Brasil
Núcleo Piraquara
+55 (21) 2333-5251 » Brasil
Núcleo Piraquara
+55 (21) 3417-3642 » Brasil
Núcleo Camorim

Endereço(s)

Estrada do Pau-da-Fome, 4003
Jacarepaguá
Rio de Janeiro (RJ)
22723-490

Núcleo Pau da Fome
Rua do Governo, (ao final)
Realengo
Rio de Janeiro (RJ)
21770-100

Núcleo Piraquara
Estrada de Camorim, 2118
Camorim
Rio de Janeiro (RJ)
22780-070

Núcleo Camorim

Informações gerais

» O parque não cobra taxa de entrada.

» Horário de funcionamento: de terça-feira a domingo, das 08:00 às 17:00.

» Não é permitido o camping dentro do parque.

História e características

Com uma área de 12.393 hectares, representando cerca de 10% a área do município do Rio de Janeiro, e 4 vezes maior do que o parque nacional da Tijuca. O parque foi criado em 28 de junho de 1974 e compreende toda a área acima de 100 metros de altitude do maciço da Pedra Branca.

A sua vegetação é composta, em sua grande parte, por Floresta Ombrófila Densa Submontana (83%) e Floresta Ombrófila Densa Submontana Montana (16%). Sua área cobre, principalmente a zona oeste da cidade, em uma extensão que começa no bairro de Barra de Guaratiba e extende-se até pela região de Jacarepaguá.

Além disto, o pico da Pedra Branca é o ponto mais alto da cidade, com 1.024 metros de altitude, apenas 3 metros maior do que o pico da Tijuca. Apenas 3 quilômetros separam o maciço do parque nacional da Tijuca, assim e 4 quilômetros separam da serra do Gericinó.

Atrativos

Além de diversas opções de trilhas para caminhada e cachoeiras existentes, o parque também dispõe de rochas para a prática de escalada e rapel. Além disto, nos bairros de Campo Grande e de Vargem Grande, grupos se reunem para a prática de mountain bike.

Estrutura

O parque conta, atualmente, com 3 núcleos para o atendimento aos visitantes.

  1. Núcleo Pau da Fome: local aonde fica localizado a sede administrativa do parque, também é ponto de acesso para a principal trilha para o pico da Pedra Branca e rochas para a prática de escalada esportiva.
  2. Núcleo Camorim: ponto de acesso aonde existem informações sobre um sistema de captação de água que existe no local e também é base para a trilha que irá com destino ao açude do Camorim.
  3. Núcleo Piraquara: dispõe de área de lazer, além de ponto para a prática de rapel e também para a cachoeira da Piraquara, que é ponto de lazer da região.

Devido à sua localização em um perímetro urbano de uma metrópole, o parque representa grandes experiências sociais. Ao mesmo tempo que sofre pressões (questões fundiárias, desmatamento, queimadas, caça, acessos não permitidos, etc.) das áreas mais populosas, o parque também possui a vizinhança de populações rurais e isoladas, gerando um contraste e também a diversificação da necessidade da relação do parque com a vizinhança e vice-versa.

Em 2013, o parque aprovou o seu plano de manejo, na qual definem metas de gestão e manejo do parque. O plano pode ser consultado no site oficial do parque.

Fontes e informações complementares:
INEA em 19/11/2014


Importante: procure informar-se sempre sobre os procedimentos de segurança do organizador, assim como sua qualificação.

Para chegar ao núcleo Pau da fome, deve-se acessar a estrada Pau da Fome, na Taquara, e seguir até o seu final. Seu principal acesso é a estrada do Rio Grande, que seu término é junto à estrada dos Bandeirantes, no centro da Taquara.

Para quem pretende ir de transporte público, é necessário pegar a linha alimentadora 964A (Pau da Fome - Tanque via Meringuava), que integra-se ao BRT no terminal do Tanque.

Para chegar ao núcleo Camorim, deve-se pegar a estrada dos Bandeirantes e seguir até o bairro de Camorim. Dali, acessa-se a estrada do Camorim e segue-se até a entrada do parque, em um percurso de 2,7 quilômetros.

Para quem pretende ir de transporte público, é necessário descer na estrada dos Bandeirantes (próximo ao número 8000) e caminhar até a sede do parque.

Linhas existentes:

  • 348 - Castelo x Riocentro
  • 368 - Castelo x Riocentro
  • 757 - Cascadura x Riocentro

Para chegar ao núcleo Piraquara, deve-se acessar a rua do Governo, em Realengo. Esta rua é acessada, principalmente, pela rua Limites. Ao acessar a rua do Governo, deve-se seguir até o seu final, em direção à serra até chegar no portão do parque. É proibido estacionar dentro do parque, devendo estacionar na rua do Governo, próximo ao portão do parque, atento à sinalização para estacionamento no local.

Para quem pretende ir de transporte público, é necessário descer na rua do governo com a rua Ocalibi e seguir um trecho de 1 quilômetro até a entrada do parque.

Linhas existentes:

  • 701 - Bangu x Taquara
  • 794 - Cascadura x Bangu
  • 741 - Bangu x Barata
  • 743 - Bangu x Barata

Veja o mapa (Google Maps):


Clique aqui para inserir um comentário

Total: 0 comentário(s)

Nenhum comentário encontrado!

 
0 0
Facebook Twitter