CS Ecoturismo

Essa lei não pode ser aprovada!

O profissional de Educação física pode ser substituído por um ex-atleta na iniciação esportiva?
Veja detalhes deste polêmico projeto de lei que está em tramitação no Congresso Nacional.

Por:

Caros colegas de Profissão (Profissionais de Educação Física), o projeto de Lei (PL) 5.189 de 2005, que altera a Lei Pelé, cria a Profissão de Monitor de Esportes. Se essa Lei for promulgada, um ex-atleta de qualquer esporte poderá ministrar aulas de iniciação e treinamento desportivo em qualquer tipo de modalidade esportiva… Dá pra acreditar?

Este Projeto de Lei (PL) já foi, inclusive, aprovado na Câmara dos Deputados, em março de 2010, e agora está em andamento no Senado em regime de urgência. Este PL que tem como um de seus autores o Ministro dos Esportes Orlando Silva, conta com o apoio de clubes e associações esportivas, que se aproveitaram da Lei Pelé (que tem 99% de apoio da população), para inserir um artigo no meio da Lei no qual tira o Profissional de Educação Física da iniciação e treinamento desportivo…

E agora??? Milhares de colegas ficarão desempregados???

Vamos mobilizar todos os Profissionais desta categoria e lutar contra este absurdo!!!

Se essa Lei for aprovada pelo Senado será o inicio do fim da nossa Profissão, pois toda iniciação e treinamento desportivo estarão sendo ministrados por ex-atletas. Este PL prejudica os Profissionais de Educação Física e principalmente os usuários de serviços de atividades esportivas. Além disso, coloca em risco a saúde de todos os beneficiários, pois tira o direito da população de ser atendida por profissional habilitado

Vamos lutar e mostrar a força da nossa categoria, pois unidos podemos impedir que essa Lei seja aprovado pelo Senado… Vamos denunciar nas faculdades, escolas, clubes e academias e envolver toda a sociedade em defesa da nossa Profissão.

O senador Crivella diz ser ”um absurdo que a categoria não tenha sido ouvida pelos autores do PL 5.189″ e reafirma que “toda atividade física, seja ela qual for, tem que ser ministrada por Prof. de Educação Física”.

Unidos e com a liderança de nossas representações em todo o Brasil podemos vencer os inimigos da saúde, da população brasileira e da Educação Física!!!

Entrem em contato urgente com o SINPEF (Sindicato dos Profissionais de Educação Física): (21) 3394-7248 / 2567-5008

Referências por palavra-chave



Clique aqui para inserir um comentário

Total: 10 comentário(s)

Mário Rocha em
Me formei em Educação Física pela Faculdade de Educação Física de Santo André ( FEFISA ) no ano de 1983. Em 2006, fui demitido de uma academia em Santos durante minhas férias. Pois bem, estou desempregado desde
o acontecido. Fui ao CREF/SP pedir suspenção do meu CREF para não receber boletos da anuidade. Em janeiro desse ano (2011) apareceu um trabalho da Prefeitura de Santos no Projeto Escola Total. Me candidatei para esse serviço de 3 semanas e na entrevista informei que estou com o CREF suspenso. A pessoa disse que para esse serviço não era NECESSÁRIO o CREF. No 3º dia de trabalho apareceu um fiscal do CREF e me atuou como EXERCÍCIO ILEGAL DA PROFISSÃO e fez um Boletim de Ocorrência no 2º Distrito Policial de Santos onde vou me apresentar dia 23/03. Ora, fiz uma Faculdade, fui registrado no MEC e só porque suspendi meu CREF por não estar trabalhando, fui atuado como EXERCÍCIO ILEGAL da PROFISSÃO. Então meu DIPLOMA não vale nada? Meu registro no MEC não vale nada? O Sr. Carlos Caetano Bledorn Verri, Dunga, foi técnico da Seleção Brasileira de Futebol sem ter feito uma faculdade e vários outros técnicos que trabalham no futebol brasileiro não tem sequer o 2º grau.
Apoio totalmente que sou CONTRA esse projeto de Lei (PL) 5.189 de 2005 que permite pessoas que não cursaram uma Faculdade de Educação Física obter o registro do CREF.
Só através de e-mails espalhados pelo BRASIL poderemos colocar a população em alerta do PERIGO que todos estão correndo por serem orientados por pessoas não capacitadas.
Tem meu apoio em qualquer colocação de vocês para esse fim.
1 0

Marcos Antonio Borges Negrão em
Achei muito interessante os textos sobre Educação Física. Leciono esta disciplina e tenho interesse de ficar sempre informado sobre tudo que se refere à disciplina citada.
0 0

Cs Ecoturismo em
Bom dia Marcos!
Ficamos felizes que tenha gostado de nossos artigos. Os textos são realizados por diversos colaboradores voluntários que buscam compartilhar os seus conhecimentos e difundir informações.
Estaremos sempre buscando oferecer aos nossos visitantes informações de qualidade.
Sinta-se à vontade também caso tenha alguma informação ou conteúdo para compartilhar.
Qualquer coisa, estamos à disposição!
0 0

Alyne em
é impossivel se criar uma lei sem consultar os maiores envolvidos, que são os profissionais da educação fisica...que minitro é esse...um louco.....todos estão querendo garantir alguma forma de participar das olipiadas e copa do mundo q vai haver no Brasil....
0 0

Vladmir h Andrade em
ALÔ PESSOAL ! NÃO DÁ MOLE NÃO !

ALGUÉM COM PROBLEMA NO CORAÇÃO PROCURA QUEM ????????
UM MÉDICO CARDIOLOGISTA !
COM DORES NA CABEÇA ????????????
UM MÉDICO NEUROLOGISTA !
COM UM INVENTÁRIO DE UM IMÓVEL ???????????????
UM ADVOGADO ESPECIALIZADO !

QUANDO EU FOR A UMA ACADEMIA, CLUBE OU NUM ESTABELECIMENTO DE ENSINO PRATICAR ATIVIDADE FISICA ,ESPORTIVA , EU QUERO SER ORIENTADO POR UM PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FISICA .
E NÃO TEM CONVERSA !
0 0

Eliete Leão. em
Realmente temos que unir nossas forças, não é justo uma pessoa que só é atleta ocupar um lugar de um professor, não desmerecendo os atletas, mas nós estudamos 4 anos e continuamos estudando, nos qualificando para atender com dignidade e conhecimento os nossos alunos (clientes) daí surge uma lei que quer dar esse poder a uma pessoa que nunca entrou em uma sala de aula de uma Universidade. Isso é um absurdo e tem mais. Professor de educação fisica não é só aquele que corre, salta, nada... é muito conhecimento e isso parece ser um fator insignificante para o ministro do esporte, talvez ele não esteja no local adequado, já que não consegue entender essa nossa importancia.

Se não lutar-mos por nossa profissão, realmente voltaremos para estaca zero. Isso td me deixou muito triste.
0 0

Ramon Sousa em
Caro Professor,

Eu concordo quando você diz que o mercado se estabelece por competitividade, mas eu não me encomodo em perder meu emprego para uma pessoa que seja graduada igual à mim... Eu me encomodo, isso sim, de perder "espaço" para pessoas que para mim não estão aptos para trabalhar com Treinamento Desportivo...

Você mesmo fez um comentário em que diz que: "[...] as instituições que lutam pela classe devem buscar que estes monitores possam no futuro ter condições de fazer uma boa graduação[...]". Ou seja, você mesmo sabe que apesar de serem ex-atletas eles tem que complementar seus estudos com uma graduação e aí sim eles poderão ser nossos aliados na nossa profissão... Com o pensamento de vocês, no futuro teremos crianças que não querem estudar para se transformar em atletas por pelo menos 3 ou 5 anos já que depois terão direito à uma profissão (como Técnico de alguma equipe). Será que é justo um ex-atleta que, as vezes (não estou generalizando), nem terminou o ensino básico se transformar em técnico e ter a responsabilidade de treinar um atleta ou uma equipe de atletas? Será que este ex-atleta que se transformará em técnico saberá qual o melhor treinamento à ser aplicado para sua equipe ou qual os efeitos deste treinamento para cada um de seus atletas? Essas são apenas algumas dúvidas que ficam no ar...

Estava esquecendo, também, de parabenizá-lo por tudo que você já foi e ainda é, mas isso não está em questão, por tudo que você diz ser, para mim anda desinformado quando diz que: "[...]desconheço uma graduação que garanta este ou aquele conhecimento[...]" Você está colocando em dúvida a capacidade de ensino de instituições que oferencem cursos de Graduação, Pós-graduação, Mestrado e Doutorado e por aí vai, inclusive à da instituição em que é Coordenador do Curso de Educação Física... E ainda por cima está se contradizendo, pois lá em cima você mesmo diz que: "[...] as instituições que lutam pela classe devem buscar que estes monitores possam no futuro ter condições de fazer uma boa graduação[...]". Como é que você quer que estes ex-atletas tenham chance de ter uma boa graduação no futuro, se você mesmo disse que desconhece uma graduação que garanta este ou aquele conhecimento? Você tem que pensar melhor no que fala e ser menos contradizente...

Agora falando dos projetos sociais e dos técnicos que citou, em momento algum se falou em acabar com os projetos sociais. Todos sabemos que "Projetos sociais'' são para "tirar'' as crianças das ruas diminuindo os efeitos das comunidades de risco como você diz e não para transformá-los em atletas de alto rendimento, são poucas as crianças de projetos que realmente se transformam em atletas. E sobre os técnicos que como você mesmo diz: [...] exemplo Bernardinho que possui uma equipe multidisciplinar[...]", esses técnicos nunca estão sozinhos, eles são acessorados por uma equipe multidiscipinar (que para quem não sabe é uma equipe formada por vários profissionais devidamente habilitados para exercer tal função como, por exemplo, Preparadores Físicos, Médicos, Fisiologistas, Fisioterapeutas, Psicólogos e etc...).

Portanto, voltando ao foco real desse Projeto de Lei absurdo, no qual querem colocar ex-atletas para treinar equipes de alto rendimento ou outros atletas. Eu continuo com a minha opinião de que os ex-atletas tem vivência com os treinamentos que foram passados para ele, ou seja, ele sabe treinar à si mesmo e não outras pessoas que tem biotipos e condições físicas diferentes... E em uma iniciação desportiva, o ex-atleta aplicará os mesmos treinamentos para uma criança? Um ex-atleta saberá o melhor treinamento a ser aplicado para cada nível de desenvolvimento motor da criança? Reflitamos!

Vamos dar o exemplo do Dunga, Técnico da Seleção Brasileira, ele pelo menos se especializou fazendo o curso de Técnicos de Futebol, porém ele tem a sua disposição um equipe multidisciplinar, como todos técnicos que você citou anteriormente.

Como sempre termino deixando esta reflexão para todos: Será que um ex-atleta, que apenas vivenciou os treinamentos aplicados à ele, está apto à ministrar aulas de iniciação e treinamento desportivo para qualquer pessoa, inclusive pessoas com problemas físicos, de saúde ou alguma deficiência? Abraços!!!
0 0

J. Santos em
Caro Professor,

Fico intrigado com acusações infundadas e de teor preconceituoso, de que perderemos os empregos para monitores esportivos, "professores", caso isto aconteça será causada por exclusiva incompetência, o mercado se estabelece por competitividade, se perdermos nossas vagas é por que não temos competência para exercê-las, quanto aos monitores esportivos, estes só se estebelecerão com qualidade comprovada e nenhum gestor com o mínimo de conhecimento manterá profissional incompetente (de qualquer nível), quero ver o senhor demitir da sua equipe, Bernadinho, Giovane (Vôlei), técnicos de futebol espalhados por todo o País e ex-atletas conduzindo inúmeros projetos sociais, que minimizam os efeitos negativos das comunidades de risco, ou seja, de relevância social.
Te pergunto quem ocupará este espaço, você e os graduados em Educação Física? O Mercado deve respeitar a dinâmica social, e as instituições que lutam pela classe devem buscar que estes monitores possam no futuro ter condições de fazer uma boa graduação, respeitando os processos naturais de qualquer sociedade democrática.
Conheço "monitores" de ilibada capacidade que empregam uma quantidade enorme de profissionais de educação física, exemplo Bernardinho que possui uma equipe multidisciplinar.
Quem vai tirar ex-atletas de surf que trabalham em comunidades carentes, fazendo a inclusão social de dezenas de crianças e jovens.
Quanto a trabalhar com crianças e treinamento desportivo, me perdoem a franqueza, não é para qualquer indivíduo, e desconheço uma graduação que garanta este ou aquele conhecimento, estamos fazendo enxame desnecessário.
Quanto a sua chamada, "vencer os inimigos da saúde?" me poupe, muito fanática.
Vamos discutir coisas mais relevantes para a profissão, em que melhorou no seu Estado a divisão entre Bacharéis e Licenciados, taí uma discussão que pode acabar com a relevância da nossa profissão. Reflitamos.
Fui ex-atleta (conheci doze países competindo), fui monitor, fui estagiário, fui acadêmico, fui recém formado e sou professor graduado a mais de vinte anos, ou seja, passei por todas as fases e estou no magistério a 25 anos, sou Coordenador de um curso de Educação Física, um dos maiores do meu Estado, e lhes digo ex-atleta não é problema é mais um aliado na nossa profissão.
É importante lembrar que a Lei 6354, de 1976, que ainda possui artigos em vigor, já determinava o mesmo em relação ao futebol:
Art . 27 Todo ex-atleta profissional de futebol que tenha exercido a profissão durante 3 (três) anos consecutivos ou 5 (cinco) anos alternados, será considerado, para efeito de trabalho, monitor de futebol.

Obs. O Senador Crivella como entendor da matéria esportiva, é um ótimo pastor.
0 0

Roberto em
Apoio integralmente a posição do senhor !!!O que é preciso é rever alguns conceitos que a lei impõe !! verifica-se que ela é falha e obsoleta !!! Em qualquer lugar do mundo existe formação especifica pára cada profissão. O que acontece aqui é o professor de educação fisica tem formação generalizada e imcompleta!!Um Professor possui trinta profissões(Basquete, VOlei,|Futebol, Fitness, Musculação, Dança, lutas e por ai vai !!!!!
Precisamos ter cursos de GRADUAÇÃO SUPERIOR ESPECIFICA: CURSO DE GRADUAÇÃO EM FITNESS, CURSO DE GRADUAÇÃO SUPERIOR LUTAS ; CURSO DE GRADUAÇÃO SUPERIOR EM FUTEBOL E etc !!!! como existe no mundo TODO (EUA EUROPA , ESPANHA, ARGENTINA etc). Quem quiser dar em escolas que faça licenciatura !!!! As´profissões são diferentes !!! Porque um professor de Musculação tem que saber basquete ou dança ???? E um aluno que cursou 6 meses de lutas na faculdade, sabe mais que um mestre de Karate ou Judo ??? Precisamos de formação especifica é isto que está faltando !!!!Precisamos dev formação SIM mas Especifica esta é questão !!!! OU SERÁ QUE O MUNDO TODO ESTA ERRADO E SÓ NÓS ESTAMOS CERTOS ????? BRINCADEIRA NÃO !!!!
0 0

Vanessa em
Senhor Sérgio Silva, qual é o seu problema? Pode falar.... Vc é um ex atleta q não conseguiu se estabelecer pela sua competência e se encontra totalmente frustrado por não ter alcançado o sucesso através do esporte, e está agora tentando ser um professor??!!!Como é q o senhor tem coragem de dizer q um ex atleta tem a competência de treinar todo tipo de pessoa, sendo q a única pessoa q ele consegue treinar é a si mesmo, então todas as pessoas são iguais? Todos os corpos e saúde são iguais? Como não se "educa o físico", segundo o q o senhor mesmo disse, então me responda o q é condicionamento físico, pq tantas pessoas mudam fisicamente através de uma atividade bem direcionada, por um profissional q estudou o corpo humano? A individualidade biológica existe meu querido, ou seja, cada um tem o seu perfil, a sua saúde, as suas limitações, capacidades e habilidades, estude um pouquinho mais, antes de tentar atingir a profissão dos outros sem o menor fundamento científico. Tenta cursar Educação Física, vc vai ver q essas contradições são totalmente disseminadas por quem estuda pra valer, quem sabe vc não encontra a verdade e se redime da ignorância q te cega!!!! Abçs!!!
0 0

Michael em
Ninguém merece e cumulo do absurdo, existir pessoas q concordam com a lei mais nao entende de nada.
Meu grande companheiro se você não e da área ou não entende do assunto fica mais bonito não palpita para não falar asneira.
Até pq pelo minimo que você, falou da para perceber que não conhece Educação Física.
nada a declarar sobre ele acho q ele quando ler vai perceber que ta falando merda.

abraçao kako
0 0

Sérgio Silva em
Esta Lei tem que ser aprovada, pois na minha concepção não existe "educação física"!Não se educa o físico de ninguém!O movimento humano é parte intrínsica do SER humano, e nós desenvolvemos a partir do contato social e cultural.O máximo que podemos fazer é melhorar, preparar, condicionar!!!!E para a prática desportiva não existe ninguém melhor para desenvolver esta função do que aquele que praticou a vida inteira este esporte, arte marcial, yoga, capoeira, dança ou qualquer coisa!Ou será que vocês acham que a sociedade aceita que alguém que fez malmente 4 ou 5 aninhos de uma faculdade( que deixe de passagem, a maioria das faculdades de "educação fìsica" são um emanharado de contradições, técnicas obsoletas e outras coisitas mais...)vão fazer alguém ser expert em alguma destas técnicas e conhecimentos??????
0 0

Ramon Sousa em
É lamentável saber que ainda existem pessoas com tal pensamento. Fundamentado em que você diz que não existe "educação física"? O movimento humano também é determinado culturalmente, porém pode ser complementado, desenvolvido e aprimorado de diversas formas, como por exemplo, através das aulas de Educação Física, através de vários estímulos e também com treinamentos e iniciação desportiva e etc. Se o "movimento humano", como você diz, é desenvolvido apenas através do contato social e cultural, me diz o que seria de uma criança que mora numa favela que não tenha nenhuma área de lazer? O passa tempo dela seria presenciar acontecimentos ruins. O que essa criança aprenderia com a sociedade em que vive? Como ela iria desenvolver seus movimentos, sua coordenação e outras qualidades físicas? Eu te respondo, com as aulas de Educação Física ou com iniciação desportiva que tira muitas crianças da rua e do mundo do crime. Um ex-atleta pode ter sim uma grande vivência, pois passou a vida ou boa parte dela treinando. Porém somos nós (profissionais de Educação Física, que estudamos 4 anos e mais 1ano e meio fazendo pós-graduação e se especializando em alguma área e mais alguns anos fazendo Mestrado e Doutorado e por aí vai... Não são apenas 4 anos como você pensa.) que entendemos como o corpo de um indivíduo reage a determinado treinamento. Pois se você não sabe, existe um princípio do treinamento que é chamado de Princípio da Individualidade Biológica, onde cada indivíduo tem suas limitações e reage diferente a cada tipo de treinamento. O que eu quero dizer com isso? Um ex-atleta vivenciou e praticou os treinamentos aplicados para ele. Então, será que o mesmo treinamento dele serve para mim ou para outras pessoas? Será que um ex-atleta saberia prescrever um treinamento para uma pessoa que tenha algum problema de saúde ou físico, ou alguma pessoa deficiente? Será que um ex-atleta saberia fazer um programa de treinamentos para um atleta voltando de contusão ou até mesmo os cuidados que deve ter com tal atleta? Será que um ex-atleta saberia os riscos, os efeitos ou os benefícios do treinamento para o corpo e para o organismo de um individuo. Pois é, qualquer profissional de Educação Física que estudou "alguns aninhos" como você diz, saberia. E isso porque eu só comentei sobre os aspectos motores, ainda tem os aspectos sociais e cognitivos... Eu poderia falar muito mais, mas prefiro parar por aqui e deixar a sociedade pensar... Será que um ex-atleta, que apenas vivenciou os treinamentos aplicados à ele, está apto à ministrar aulas de iniciação e treinamento desportivo para qualquer pessoa, inclusive pessoas com problemas físicos, de saúde ou alguma deficiência? Deixo essa reflexão para todos vocês... Abraços!!!
0 0

 
0 0
Facebook Twitter